LIVRARIA CULTURA

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Os Mandamentos do Bom Professor de Educação Física

Caros professores: São muitos os desafios enfrentados no nosso dia a dia, e a nossa responsabilidade como professor é maior ainda. Mas existem diversos mandamentos que determinam a eficiência de um bom professor de Educação Física, elenco aqui alguns deles.

1 - CONFIE COMPLETAMENTE EM VOCÊ – tenha uma fé inabalável na sua habilidade de conseguir atingir seus objetivos e faça com que todos os seus alunos tenham um objetivo em comum;
2- ACREDITE NO SEU TRABALHO – acredite que você tem nas suas mãos uma maneira de dar uma boa aula e poder mudar a vida de muitos alunos;
3- CAPACIDADE DE TRABALHAR EM EQUIPE – Para ter sucesso no trabalho, é fundamental saber trabalhar em equipe, tratar bem todos os professores e funcionários, eles poderão ser seus aliados.
4- VISUALIZE-SE COMO ALGUÉM DE SUCESSO – desenvolva sua auto-imagem;
5- ACREDITE QUE SEUS ALUNOS VÃO ATINGIR TODOS OS OBJETIVOS DE SUA AULA – demonstre isso na sua aparência, voz e espírito para o aluno;
6- CURTE AS MUDANÇAS DO SEU DIA A DIA – o trabalho com os alunos não pode virar rotina, procure sempre alterar essa rotina;
7- PLANEJE SEMPRE O SEU TRABALHO, DEPOIS TRABALHE O QUE PLANEJOU – Dê importância ao planejamento. Ele é um fator determinante para o sucesso ou fracasso da sua aula;
8- SEJA SEMPRE ENTUSIÁSTICO EM TODAS AS AULAS – o entusiasmo pode fazer de uma aula “monótona” um verdadeiro sucesso, enquanto o desânimo pode afundar a aula mais motivante. Entusiasmo é fundamental.
9- SÃO OS ALUNOS QUE IMPORTAM - Devemos nos perguntar “O que espero que meus alunos aprendam hoje?” e não “O que eu vou fazer hoje?”
10- O FOCO DURANTE UMA AULA NÃO É O PROFESSOR, MAS SIM O ALUNO - Orgulho sim, arrogância não;
11- ESTUDE OS ALUNOS – É Importante conhecer o material didático, porém, é mais importante conhecer seus alunos;
12- SE VOCÊ QUER QUE ELES SE ARRISQUEM, OFEREÇA SEGURANÇA - Crie um pequeno ritual para o início de cada aula. A quadra é a sala de aula de Ed. Física e precisa ser um terreno do aluno e não esqueça de falar sempre dos exemplos e cultura que eles trazem para escola;
13- VULNERABILIDADE NÃO COMPROMETE A CREDIBILIDADE - Se você disser “eu não sei” isso não significa que a sua classe vai acreditar menos em você. Ao contrário, seus alunos irão te admirar ainda mais;
14- REPITA OS PONTOS IMPORTANTES - A primeira vez que você diz uma coisa, as pessoas escutam. Se você fala uma segunda vez, as pessoas reconhecem aquilo; e se você fala uma terceira vez, elas aprendem.” (William H. Rastetter); - Faça isto, sem ser chato;
15– BONS EDUCADORES FAZEM BOAS PERGUNTAS – Faça perguntas que permitam maiores discussões sobre os temas: Porque isso funciona assim? Qual a razão dessa reação? E se fizéssemos de outra maneira?
16- ESCUTE MAIS DO QUE FALA - Fique atento aos sinais não escritos: olhares, movimentos, entre outros. -Escutar o que os seus alunos dizem, significa que você se importa com eles. Nem tudo é dito por palavras.
17- PERMITE QUE OS ALUNOS ENSINEM ENTRE SI - Realize com seus alunos pequenas atividades físicas, e peça que eles reflitam sobre ela e registrem essas atividades e entenda que o professor não é a única fonte de conhecimento da sala.
18 - E FINALMENTE: PAIXÃO E PROPÓSITO -
O que faz a diferença entre um bom professor e um excelente professor é a paixão pelo ensinar.

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Recreação "Projeto: Aprender Com Prazer"

“Se os teus projetos forem para um ano, semeia o grão.
Se forem para dez anos, planta uma árvore.
Se forem para cem anos, educa o povo”.
(Provérbio Chinês)
Apresento a seguir alguns modelos de aulas de Educação Física Escolar(recreação- ciclo I) surgidas de algumas reflexões de ordem didática e pedagógica adquiridos através de aprendizado e observações realizada dentro de um complexo acadêmico, através de estágios, aulas, cursos e principalmente através de experiências realizadas com professores de Educação Física das Diretorias de Ensino de Presidente Prudente, Tupã e Itu.
Quero deixar claro, que em nenhum momento pensei em constituir um roteiro obrigatório e fechado em si, a ponto de ser seguido, mesmo porque, as aulas dependem da realidade de cada unidade. São apenas sugestões que apresento aos colegas, na esperança de que possam auxiliá-los em suas atividades diárias de Educação Física. As atividades, bem como as fotos são dos alunos da EE Professor José Benedito Gonçalves da cidade de Salto/SP com total respaldo da direção escolar (Obs: todas as fotos foram autorizadas). Antes, gostaria de dar a definição e a importância da Educação Física Escolar e da Recreação na vida dos educandos.

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: “Elemento educacional caracterizado pelo ensino de conceitos, princípios, valores, atitudes e conhecimentos sobre o movimento humano voluntário e corporiedade no sentido de propiciar ao aluno, através da prática reflexiva de atividades, a otimização de possibilidades e ‘potencialidades’ para o desenvolvimento e movimentação corporal harmônica e eficaz e, em decorrência, desenvolver consciência corporal e a capacitação para atingir objetivos em relação à educação, saúde, prática esportiva e expressão corporal orientadas para a conquista de um estilo de vida ativo e para o pleno exercício da cidadania”. (Hoffman, S.J. & Harris, J.C. - Nahas, M.V.).
.
RECREAÇÃO NA ESCOLA: Segundo o Professor Ricardo Jesus da Costa, “A Recreação deve procurar o desenvolvimento das potencialidades individuais latentes que cada um possui e que logo darão riquezas a vida cotidiana”.
Atribuiu-se a Platão a seguinte frase: “Ao ensinar crianças, treine-as através dos jogos e você será capaz de ver mais nitidamente a inclinação natural de cada uma”. Ou seja: Recreação significa: “Recrear a Ação”, e não apenas brincar por brincar.(N.C.Z.)

________#####_______#####_______#####______#####______#####______

15 ATIVIDADES RECREATIVAS E EDUCATIVAS

1- CORRENTE
Posição: Alunos espalhados pela quadra, o professor escolhe um aluno, que será o pegador. (para tornar a atividade mais dinâmica, o professor poderá ser o pegador).
Dinâmica: Ao sinal, o aluno escolhido ou o professor corre atrás dos colegas, aquele que for pego, deverá pegar na mão do pegador e de mãos dadas perseguir os demais de um em um, até formar uma grande corrente. A atividade prossegue, até que todos façam parte dessa corrente.
Regras: 1) A corrente não pode se quebrar, 2) os únicos que podem ser os pegadores são os alunos que estão na ponta da corrente.
Variação: Corrente de duplas
Posição: Alunos espalhados pela quadra, o professor escolhe um aluno, que será o pegador. (para tornar a atividade mais dinâmica, o professor poderá ser o pegador).
Dinâmica: Ao sinal, o aluno escolhido ou o professor, corre atrás dos colegas, aquele que for pego, deverá pegar na mão do pegador e de mãos dadas perseguir os demais de um em um, até formar uma corrente de quatro alunos. Quando isso acontecer a corrente de quatro alunos, se dividirá em 2 grupos de 2 pessoas de mãos dadas e a atividade prossegue, até que todos façam parte da corrente em duplas.
Reflexão:
Após terminar a atividade, o professor e os alunos fazem várias indagações e reflexões sobre a importância da cooperação para o sucesso da atividade e para outros projetos de vida.

02 – MUDA REI
Posição: todos sentados em circulo.
Dinâmica: o professor
escolhe um aluno para ficar do lado de fora e de costas para o circulo, o professor aponta a mão para um aluno do circulo que será o rei. Este deve fazer algum tipo de som, (ex: ficar batendo palmas, estralar os dedos, bater com as mãos no joelho, etc.), e todos os demais devem imitar os gestos do rei. Nesse momento o aluno que estava fora, entra no meio do circulo para tentar descobrir quem é o rei. Sendo que todos devem imitar o rei e disfarçar para que o rei não seja descoberto. Sempre que puder, o rei vai mudando os gestos(batendo os pés, estralando os dedos...) sem que o aluno do meio perceba quem é o rei. O aluno do meio por sua vez tem 03 chances para adivinhar, se acertar, ele senta no lugar do rei e o rei sai do circulo para continuar a atividade.

03- NUNCA TRÊS
Marco: As diferenças existentes entre os movimentos locomotores e não locomotores e como estes se articulam na realização de atividades na nossa vida.
Conceito: Locomoção e não locomoção
Material: Nenhum
Fazendo a Atividade:
Pede-se ao grupo que se espalhem pela quadra de forma que fiquem em duplas parados, de dois em dois, em pé e de mãos dadas. Após isto, é escolhido 2 alunos onde um destes será o pegador e o outro o fugitivo. Ao sinal do professor o pegador tentará tocar no fugitivo, caso isto ocorra inverte-se a perseguição, sempre que quiser o fugitivo poderá segurar a mão de um dos alunos em duplas, caso isto ocorra o aluno da extremidade passa a ser o pegador e este passa a perseguir o que exercia esta função antes da troca.
Variação: nunca três sentados, da mesma forma do exercício anterior, só que ao invés de ficarem em pé, os alunos ficam sentados de dois em dois, (conforme a foto ), sendo que o fugitivo tem que sentar ou na frente ou atrás dos alunos sentados para se salvar. caso sente na frente, o aluno de trás corre em perseguição ao fugitivo e vice-versa.
Refletindo a Atividade:
Quais as dificuldades encontradas na Atividade? Houve algum momento em que ficou mais fácil? Quais os movimentos que fizemos? Quais os tipos de movimentos que podemos realizar parados? Dos movimentos realizados, houve algum que usamos muito no dia-a-dia? Vocês sabem as diferenças entre movimentos locomotores e não locomotores?
Registrando a atividade: solicitar que o aluno traga na próxima semana, uma folha com colagens onde estão presentes os diversos tipos de movimentos.

04- PISCA-PISCA
Posição: alunos sentados em dois círculos concêntricos, (pode-se usar o circulo central da quadra de futsal como referência). Os alunos do circulo de fora, deverão ficar em pé, atrás dos alunos do circulo interno, sendo que um aluno ou o professor ficará em pé sem parceiro (é importante que o professor inicie a atividade).
Dinâmica: após estarem em formação, o aluno ou professor que estiver em pé e sozinho, deve piscar para o aluno que estiver sentado, (nesse momento, todos os alunos que estiverem sentados devem ficar olhando para a pessoa que estiver em pé e sozinho), esse por sua vez, se receber uma piscada, deverá fugir e sentar na frente de quem piscou. O aluno que ficar sozinho continua a atividade, piscando para quem tiver sentado. O aluno que estiver em pé deverá segurar o aluno que estiver sentado para não deixa-lo fugir. Invertem-se as posições quando o professor sentir a necessidade.
Variação:
Essa atividade pode ser realizada na sala de aula, com os alunos sentados no chão ou em cadeiras.

05- FUTEBOL EM DUPLAS
Marco de aprendizagem: interdependência dos segmentos corporais e as necessidades de adaptação que o corpo cria mediante alguma limitação.
Conceito: Interdependência das partes do corpo em movimento, Esquema corporal.
Material: uma Bola
Fazendo a atividade: professor propõe:
a formação de duas equipes; cada equipe de um lado da quadra e de mãos dadas; utilização das regras do futebol de salão, adaptando-as às necessidades discutidas previamente pelo grupo.
Desenvolvimento: As equipes jogam por um determinado tempo, sendo que os alunos que estão em duplas não podem soltar as mãos durante a partida, com exceção do goleiro que fica sozinho no gol.
Variação: pode ao invés de formar duas equipes, serem formadas três equipes, sendo que uma fica de fora (equipes A, B e C).
Reflexão: Como foi jogar o futebol na aula de hoje? Quais as dificuldades encontradas?
Ressaltar as dificuldades, elencá-las, solicitar o porque; destacar como foi desenvolvido o futebol em decorrência de estarem de mãos dadas.
Qual a importância da cooperação e trabalho em grupo para a realização da atividade proposta?
Pontos importantes:
Registrando a atividade:
Alunos: organização de grupos para elaboração de um texto-síntese, enfocando os pontos importantes discutidos no “Reflexão”.
Professor:
realiza a análise da produção dos alunos; observa a aproximação ou distanciamento em relação aos pontos importantes e ao marco da atividade.

06- CAÇADOR, TIGRE E O ESCUDO
1) UNIDADE TEMÁTICA: Conhecendo o movimento
2) CONCEITO: Coordenação Motora
3) ENFOQUE DO CONCEITO: Coordenação Motora é a capacidade física que permite a realização de movimentos combinados.
4) PROBLEMATIZAÇÃO: hoje vamos falar sobre Coordenação Motora, alguém já ouviu falar sobre essa palavra em algum lugar? Onde? Sabem seu significado?
DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE:
MATERIAL: nenhum.
FORMAÇÃO INICIAL: Dividir os alunos em duas colunas, uma equipe A e a outra B, uma de frente para outra a uma distância de 4 metros.
DESENVOLVIMENTO: A atividade consiste em TIGRE(vence o escudo e perde do caçador); CAÇADOR( vence o tigre e perde para o escudo); ESCUDO (vence o caçador e perde para o tigre).
As equipes combinam os movimentos que irão fazer(a cada rodada o professor pode escolher um aluno para ser o lider), se tigre, os braços para frente e rugindo; se caçador, as mãos em posição como se estivesse empunhando uma espingarda; se escudo, colocar as dois braços a frente do corpo simulando um escudo. Depois de combinados os movimentos, as equipes voltam para as colunas, sendo que ambas as equipe ficam posicionadas de costas para a outra, e ao sinal do professor eles se viram de frente e fazem os movimentos combinados. Ganha o ponto de acordo com o que está descrito acima. Se fizerem os mesmos movimentos, as duas equipes ganham o ponto.
VARIAÇÃO: Pode-se pedir que os alunos façam primeiro em duplas para pegar prática, depois elaborarem a atividade em grupo.
REFLEXÃO: Qual a importância dos movimentos nas atividades? Quais movimentos foram inventados?
DESTAQUES: O professor deverá proporcionar aos alunos conhecimento sobre Coordenação Motora.
REGISTRO DO ALUNO:
Em grupos, construir um acróstico sobre coordenação motora
REGISTRO DO PROFESSOR:
Observar a aproximação ou o distanciamento em relação ao enfoque da aula
através deste registro.

07-TESOURA, AGULHA, PAPEL E PEDRA
5) UNIDADE TEMÁTICA: Conhecendo o movimento
6) CONCEITO: Coordenação Motora
7) ENFOQUE DO CONCEITO: Coordenação Motora é a capacidade física que permite a realização de movimentos combinados.
8) PROBLEMATIZAÇÃO: hoje vamos falar sobre Coordenação Motora, Qual sua importância no nosso dia a dia?

DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE:
MATERIAL: nenhum.
FORMAÇÃO INICIAL: Dividir os alunos em duas colunas, uma equipe A e a outra B, uma de frente para outra a uma distância de 4 metros.
DESENVOLVIMENTO: A atividade consiste em TESOURA(vence o papel e perde da pedra e da agulha); AGULHA( vence o papel e a tesoura e perde para a pedra); PAPEL (vence (embrulha) a pedra e perde da tesoura e da agulha); PEDRA( vence a agulha e a tesoura e perde do papel).
As equipes combinam os movimentos que irão fazer, se tesoura, com as mãos fazer o movimento de tesoura com o dedo indicador e médio; se agulha, fazer movimento com o dedo indicador; se papel, fazer o movimento com a mão aberta; se pedra, fazer o movimento com a mão fechada. Depois de combinados os movimentos, as equipes voltam para as colunas, sendo que a equipe A fica de frente para equipe B, e ao sinal do professor eles fazem os movimentos combinados. Ganha o ponto de acordo com o que está descrito acima. Se fizerem os mesmos movimentos, as duas equipes ganham o ponto. pode-se fazer primeiramente a atividade em duplas.
REFLEXÃO: Qual a importância dos movimentos nas atividades? Quais movimentos foram inventados?
DESTAQUES: O professor deverá proporcionar aos alunos conhecimento sobre Coordenação Motora.
REGISTRO DO ALUNO:
Em grupos, refletir sobre a importância da coordenação.
REGISTRO DO PROFESSOR:
Observar a aproximação ou o distanciamento em relação ao enfoque da aula através deste registro.

08- FUTEBOL GREGO
UNIDADE TEMÁTICA: Conhecendo o Movimento
CONCEITO: Movimento Humano
ENFOQUE DO CONCEITO: A Educação Física estuda o movimento humano.
PROBLEMATIZAÇÃO: Professor conversa inicialmente com seus alunos, para levantar conhecimentos prévios sobre a meta proposta:
O que vocês acham que se aprende nas aulas de Educação Física?
Vocês já ouviram falar em movimento? E o movimento humano?
DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE:
Material: 2 bolas.
Formação Inicial: Os alunos deverão formar um grande círculo, com todos em pé, de mãos dadas, e em seguida o professor coloca no meio do circulo uma bola, sendo que os alunos em circulo e sem soltar as mãos devem ir tocando a bola de pé em pé de uma extremidade da quadra até chegar do outro lado e marcar um gol. Se a bola sair do circulo, todos devem buscar a bola sem soltar as mãos e desfazer do circulo e continuar a atividade.
Variações: O professor pode sugerir que seja feito dois grupos(A e B), cada grupo com uma bola, e cada grupo tem que sair ao mesmo tempo de dentro de uma área de gol e chegar até a outra área sem que uma equipe atropele a outra e marcar um gol.
Reflexão:
Quais os movimentos foram realizados na atividade?
Seria possível participar dessa atividade parados? Por que?
Foi difícil escolher o seu movimento?
Se essa atividade foi realizada com movimentos, então o que se aprende mesmo nas aulas de Educação Física?
É possível viver sem movimentos?
Qual a importância do grupo na realização da atividade?
Destaques da reflexão:
A Educação Física deverá proporcionar e ampliar o conhecimento sobre o movimento humano
Movimento é definido como: a mudança de posição do corpo ou dos segmentos corporais no espaço e no tempo.
Registros:
Alunos1: Divididos em pequenos grupos, deverão recortar de revistas, figuras que representam o movimento humano.
Alunos2: Deverão colar suas figuras em uma cartolina, formando um painel único da classe.
Professor: Deverá observar a aproximação da meta proposta, fazendo as intervenções necessárias.

09-GAVIÃO, GALINHA E PINTINHO
Unidade temática: Conhecendo o movimento
Conceito: Agilidade
Enfoque de Conceito: A Agilidade é a capacidade que nos permite a execução rápida de movimentos.

Fazendo a Atividade:
Forma-se uma única coluna, sendo que todos deverão segurar na cintura do outro, o aluno que ficar postado à frente da coluna será a ‘Galinha’. um aluno ficará fora dessa coluna, este será o “Gavião”, que deve ficar na frente da Galinha devendo se colocar a uma distância de 3 metros. O último da fila será o ‘PINTINHO’.
Ao sinal do professor, o GAVIÃO, tenta correr para pegar o pintinho, e a GALINHA se coloca na frente do GAVIÃO na tentativa de proteger o PINTINHO.
Os demais alunos deverão se deslocar sem soltar as mãos da cintura do companheiro. Assim que o GAVIÃO pegar o PINTINHO, o professor escolhe outro aluno para representar o papel do ‘gavião, pintinho e galinha’.
Variação: pode-se formar duas colunas, dependendo do número de alunos.
Reflexão dos alunos: Qual a importância do trabalho cooperativo na execução da atividade?

10- ENTULHO DE TÊNIS
Material: nenhum
Formação inicial: Dividir a classe em dois grupos, sendo que cada grupo deve tirar seus tênis e deixa-los em uma extremidade da quadra. Os alunos ficam perfilados do outro lado da quadra.
Desenvolvimento: ao sinal do professor, o primeiro aluno de cada fileira, deverá correr, achar seu tênis que está misturado com os outros e colocar no pé e amarrar os cadarços, voltar correndo e bater na mão do segundo da fileira, este por sua vez deve correr até o entulho de tênis e proceder da mesma forma do anterior. A atividade termina quando todos estiverem de tênis.
Variação: dividir em duas equipes colocar em uma extremidade todos os calçados. Dado o sinal, todos os alunos correrão até os tênis, colocando e voltando ao ponto de partida, vencendo a equipe que terminar primeiro a tarefa.

11- OS ANIMAIS
Material: papel com nomes de animais e lenço
Formação Inicial: alunos em circulo, sendo que cada aluno recebe o nome de um animal, por sorteio ou aleatoriamente. Ex: se tiver 30 alunos, serão 6 gatos, 6 cachorros, 6 cavalos, 6 vacas, 6 galinhas... Depois o professor pede para os alunos imitarem os animais para se familiarizarem com o som.
Fazendo a atividade: Após as devidas explicações, o professor pede para que cada aluno feche os olhos ou coloquem um lenço nos olhos e comece a imitar o som do animal ao qual lhe foi atribuído. O objetivo de cada aluno é se juntar aos demais pelo som do animal formar um só grupo com o animal designado.
Reflexão: qual a importância da audição, percepção e criatividade para execução da tarefa. Pode se trocar os grupos de nomes de animais ou aumentar mais animais na brincadeira.

12-CAMPO MINADO
Material: bambolês e giz
Formação inicial: alunos divididos em duas equipes, ‘A’ e ’B’, sendo que uma equipe de cada vez, tentará chegar ao último bambolê ou circulo feito com giz na quadra ou pátio, sem pisar no campo minado.
Desenvolvimento: o professor coloca os bambolês no chão ou faz vários círculos numerados de 1 a 28, sendo a primeira fileira composta de 7 círculos(com três campos minados), depois 6 círculos(com três campos minados), depois 4 círculos(com dois campos minados), 3 círculos (com dois campos minados), 2 círculos (com um campo minado) e um circulo que será a etapa final. Somente o professor sabe onde estão os campos minados através de desenhos feitos em uma folha.
Fazendo a atividade: O professor faz o mesmo desenho numa folha, sendo que a primeira equipe, sendo um de cada vez diz um número de 1 à 7, e pisa neste circulo numerado. Através deste número, o professor vai saber se esse círculo é ou não um campo minado. Se for, o professor diz ‘BUM’ e o aluno volta ao seu lugar e o próximo da equipe tentará executar a prova prestando atenção para não pisar no mesmo círculo onde estava minado, caso o circulo não esteja minado, o aluno continua, desta vez pisando na próxima fileira de círculos, tentando chegar ao círculo 28. Caso esse aluno consiga chegar ao círculo de número 28, esse marca um ponto para sua equipe e o próximo da equipe tenta marcar outro ponto, sendo que o professor usa outro desenho para diferenciar o percurso. Assim que todos da equipe ‘A’ participarem, será a vez da equipe ‘B’.

13-DANÇA CIRCULAR
Material: aparelho de som com musicas agitada
Formação inicial: al
unos em círculo em um espaço delimitado pelo professor, sendo que deve haver uma distancia de 2 metros entre o primeiro e o último do círculo.
Fazendo a atividade: o professor coloca uma música, sendo que o primeiro da fila começa a se movimentar em círculo e dançar. Todos os alunos do circulo devem repetir o mesmo movimento deste aluno. Após uns 30 segundos, o professor pára a música e esse aluno que estava na frente vai para o final da fila. O professor coloca novamente a música e o segundo aluno do circulo continua a dançar com um movimento diferente do primeiro aluno. E assim sucessivamente.
Para incrementar ainda mais a atividade, o professor pode fazer uma montagem com vários trechos de músicas com vários ritmos musicais.

14-FANTOCHE
Material: rádio e cd
Formação inicial: alunos divididos em duplas, sendo um em pé e o outro sentado.
Fazendo a atividade: alunos dispostos pela quadra em duplas sendo que o aluno que esta em pé, com movimentos suaves usando os dedos indicadores e polegares e ao som da música, tenta movimentar de várias formas possíveis as partes do corpo do aluno que está sentado e sem toca-lo, movimentado as mãos, pés, braços, cabeça, etc. após 3 ou 4 minutos, é trocado as posições dos alunos.

15-TUBARÃO E ILHA
Material: 1 folha de jornal para cada aluno e 1 aparelho de som com músicas agitadas
Formação inicial: alunos e
spalhados em um determinado local da quadra, tendo cada aluno uma folha de jornal. sendo que os jornais são ilhas, e os alunos são tubarões.
Fazendo a atividade:(forma competitiva) o professor pede para que cada aluno coloque a folha de jornal no chão e explica que ao tocar a música, os alunos(tubarões) devem se movimentar(dançar) por entre as ilhas e o professor aproveita para tirar uma ou duas folhas de jornal(ilhas). Quando a música for interrompida pelo professor, o tubarão tem que ocupar uma das ilhas. Quem ficar sem ilha será eliminado, e assim sucessivamente até se chegar ao vencedor.
Variação:(forma cooperativa) da mesma forma da atividade anterior, só que desta vez, o professor vai tirando as ilhas e quando a musica for interrompida, quem ficar sem ilha não será eliminado e deve ser convidado pelo tubarão que ocupou uma das ilhas. Termina a atividade quando restar apenas uma ilha com todos os tubarões nela.
Reflexão: como foi a primeira atividade? Como foi a segunda atividade?
Qual foi a melhor atividade? Porque?
Qual a importância da cooperação no trabalho em equipe?

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

O Papel do Professor de Educação Física

fotos autorizadas: alunos da EE Prof. José Benedito Gonçalves - Salto/SP
O professor de Educação Física não deve ser repetidor de séries exaustivas de exercícios, mas deve se transformar naquele que dirige as experiências da criança permitindo-lhe produzir. Não deve ser o elemento que determina e corrige; deve ser o orientador, aquele que propõe as atividades, controla o processo, interage, encoraja e valoriza a criança no grupo. Assim a orientação implica na consideração das características individuais; motivação, direito ao erro, auto correção, espontaneidade.

Do ponto de vista prático o professor deverá esforçar-se para:
-colocar a criança diante de situações reais com uma tarefa concreta a desempenhar, orientando-a de forma a dirigi-la para uma execução de conformidade com os objetivos, de tal forma que ela possa:
-Perceber as dificuldades e resolvê-las;
-Julgar suas possibilidades e contornar as dificuldades apresentadas;
-Corrigir os eventuais erros (só, ou com ajuda dos colegas ou professor).

No desenvolvimento de uma aula o professor deverá:
- Reunir as crianças de maneira informal(sentadas ao seu redor);
- Informar o que se pretende com as atividades que serão desenvolvidas;
- Informar de maneira clara e breve o que elas deverão realizar;
- Propor variações sobre as atividades ou aceitar as variações propostas pelos alunos;
- Orientar as execuções das atividades no que se refere a prevenção de acidentes;
- Estimular a cooperação através de jogos ou atividades de auxilio mútuo;
- Observar a criança em movimento e detectar suas dificuldades para a conseqüente orientação;
- Propiciar número suficiente de tentativas, tanto no decorrer de uma aula, como em aulas sucessivas;
- E por fim, planejar suas aulas sempre de forma mais simples para a mais complexas, respeitando a faixa etária e a evolução pessoal de cada criança.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Jogos Cooperativos e Jogos Competitivos

(fotos autorizadas: alunos da EE Professor José Benedito Gonçalves - Salto/SP)
Um dos temas palpitantes da prática educacional, hoje em dia, é o dos jogos competitivos e cooperativos. O aumento da conscientização da necessidade de incentivar e desenvolver o espírito de cooperação, de participação numa comunidade vem transformando profundamente o estilo de se trabalhar em grupo.
A própria capacidade cooperativa é um quesito valorizado na hora de conseguir emprego, porque as pessoas estão descobrindo que não da para ir muito longe sozinha.
Antigamente, as grandes invenções eram atribuídas a uma pessoa. Foi assim com o telefone, com a lâmpada. Hoje, são as equipes que trabalham em conjunto, e unir-se de maneira eficiente tornou-se muitíssimo importante. Há muito que os jogos estão presentes nas atividades educacionais, mas a maior parte dos jogos tradicionais no ocidente são competitivos. O conceito de jogos cooperativos teve inicio com Terry Orlick, pesquisador canadense que, a partir de estudos iniciados nos anos 70, desenvolveu o principio destas atividades físicas cujos elementos primordial são: a cooperação, a aceitação, o envolvimento e a diversão.
A idéia difundiu-se e hoje diversos autores desenvolvem jogos cooperativos aplicados a educação, administração de empresas e serviço comunitários.
Orlick questionou as regras dos jogos tradicionais e adaptou-os para transformá-los e jogos cooperativos. Neles o confronto é eliminado e joga-se uns COM os outros, ao invés de uns CONTRA outros. A comunicação e a criatividade são estimuladas para se alcançar um objetivo comum.
No Brasil, Fabio Otuzi Brotto, autor do livro “Jogos cooperativos” (Ed. Projeto Cooperação). É um dos precursores desse novo enfoque que visa, segundo ele, harmonizar o desenvolvimento da habilidade física com o desenvolvimento das potencialidades pessoais e coletivas dos alunos.
Nos jogos cooperativos existe cooperação, que significa agir em conjunto para superar um desafio ou alcançar uma meta, enquanto que nos jogos competitivos cada pessoa ou time tenta atingir um objetivo melhor do que o outro. Ex: marcar gols, cumprir um percurso em menor tempo. Etc.
O quadro abaixo nos da uma idéia das principais características dos dois tipos de jogos.

JOGOS COMPETITIVOS
Visão de que “só tem para uns”;
Objetivos exclusivos;
Ganhar DO outro;
Jogar CONTRA;
Tensão;
A vitória é somente para alguns.



JOGOS COOPERATIVOS
Visão de que “tem para todos”;
Objetivos comuns;
Ganhar COM o outro;
Jogar COM;
Descontração;
A vitória é compartilhada.